Ação coordenada para arrebatamento de presos instala o caos na região

Compartilhe:
A ação coordenada de arrebatamento de presos registrada na madrugada desta terça-feira (11), assustou os moradores de Piraquara e levou o caos para a região. De acordo com as informações da Sala de Imprensa da Polícia Militar, várias situações de tiros, explosões, incêndios e acidentes relacionados a ação dos bandidos foram registradas. A Polícia Militar segue prestando apoio aos agentes penitenciários em Piraquara e em patrulhamento na região.

As informações ainda são desencontradas, mas a princípio, 50 detentos teriam fugido. Entre eles, líderes integrantes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital, o PCC.

Acidentes e explosões

Na BR-277, no quilômetro 77, sentido a Paranaguá, uma viatura policial que seguia em patrulhamento se envolveu em um acidente. A informação da concessionária que administra o pedágio no trecho, o acidente seria um atropelamento seguido de capotamento.

Existem relatos de que um caminhoneiro, que foi rendido por bandidos, no Contorno Leste, nas proximidades de Piraquara, acabou ferido por tiros. O caminhão foi usado pelo bando armado para bloquear a via.

Nesta manhã, o Contorno Leste tem o tráfego completamente parado.

O diretor do Depen Paraná, Francisco Caricati, confirmou na manhã desta terça-feira (11), que 28 presos fugiram durante a ação coordenada que foi realizada na madrugada em Piraquara. Segundo ele, foi uma ação “muito bem planejada”. “Foi muito bem-sucedida por parte deles. Estavam munidos dos equipamentos necessários e conseguiram o objetivo deles”, diz.

Conforme Caricati, a direção do Depen já estava atenta a uma possível tentativa de resgate de presos, mas ainda assim, não conseguiu impedir. “Nós temos um setor de inteligência que já estava monitorando possíveis tentativas de arrebatamento de presos, mas, a ação desta madrugada foi iniciada ainda na segunda-feira (10), no interior, com as tentativas de assalto aos carros-fortes”, relata. “Os principais alvos do arrebatamento são integrantes de quadrilhas de roubos a carros-fortes”, acrescenta.

Cerca de 40 homens fortemente armados participaram da ação e arrebatamento. Foram explosões, incêndios em veículos e muitos tiros disparados. Caricati afirmou que o grupo utilizou explosivos, fuzis, máquinas de serra.

Sobre o receio dos moradores de Piraquara e região, da presença dos fugitivos levar a uma onda maior de violência, o diretor da unidade diz que não acredita que isto possa ocorrer, já que os fugitivos tinham uma rota de fuga clara pela rodovia.

Fonte: MassaNews