Medianeira: Mulher provoca aborto e criança nasce em casa, mas morre no hospital

Compartilhe:

Um inquérito foi instaurado pela Polícia Civil de Medianeira, para apurar uma suposta prática de aborto intencional de um feto de cinco meses, ocorrido esta semana na cidade.

Em entrevista à reportagem do Guia Medianeira, o Delegado Denis Zortea Merino, da Delegacia de Medianeira deu mais detalhes do caso.

Segundo o Delegado, a mulher estava no quinto mês de gestação, e teria adquirido com uma terceira pessoa os comprimidos de Citotec, medicamento este que tem venda proibida no Brasil, e ingerido-os afim de provocar o aborto.

O caso chegou à conhecimento da Polícia Civil somente depois que a mulher levou o bebê ao hospital, ainda com vida, porém devido às circunstâncias do parto provocado prematuramente, a criança acabou falecendo.

Ainda conforme o Delegado, o crime de aborto tem pena que varia de um à três anos de prisão. Um inquérito foi instaurado para apurar os fatos e tentar identificar a pessoa que forneceu o medicamento que tem venda proibida no país. Esta pessoa também pode ser enquadrada pelo mesmo crime, por incorrer na prática considerada ilegal.

Fonte: Guia Medianeira com informações da Polícia Civil