São Miguel: Exército inicia participação na 2ª Fase da Operação Muralha

Compartilhe:

Na barreira de fiscalização montada na praça de pedágio em São Miguel do Iguaçu, o Exército Brasileiro iniciou as fiscalizações no âmbito da Operação Muralha, ontem (19), que é coordenada pela Receita Federal em parceria com Justiça Federal de Foz do Iguaçu, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Marinha, Aeronáutica, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), Secretaria de Segurança Pública do Paraná (Polícia Militar do Paraná, Polícia Civil e Departamento de Inteligência do Estado do Paraná ? DIEP), Justiça Estadual e Ministério Público Estadual da Comarca de São Miguel do Iguaçu e Departamento de Estradas de Rodagem (DER).

Esta ação está inserida no âmbito do Programa de Proteção Integrada de Fronteiras (PPIF) e tem por finalidade o fortalecimento do controle e da fiscalização, visando prevenir e combater os crimes de contrabando, descaminho, tráfico de drogas, de armas, de munições, de medicamentos, além de outros crimes praticados, com especial enfoque nos produtos que ingressam no Brasil vindos do Paraguai.

A Operação Muralha, desenvolvida na região de Foz do Iguaçu, iniciou sua primeira fase no ano em 30 de abril. As ações contam com revezamento de equipes nas 24h do dia, e nas estradas vicinais, lago do reservatório de Itaipu e Rio Paraná através de incursões das equipes volantes de prontidão.

Balanço

Os resultados obtidos nestas primeiras duas semanas foram bastante expressivos, tendo sido apreendidos até o momento: 7.715 quilos de maconha; 425 munições; 41 unidades de medicamentos e anabolizantes e aproximadamente R$ 2,87 milhões em mercadorias; ainda 3 prisões em flagrante. Além disso, foram retidos 23 veículos, sendo 14 veículos de passeio, 1 motocicleta, 5 ônibus e 3 embarcações.

O maior destaque fica por conta dos mais de dois milhões e meio de reais em mercadorias apreendidas. O valor se deve à grande quantidade de eletrônicos, principalmente produtos de informática e celulares de alto valor, que foram apreendidos nestas duas semanas.

Fonte: ClickFoz